• Paula Camacho

Lúnasa - "a banda acústica de música irlandesa mais quente deste planeta"


Se fizermos uma rápida busca pelo nome “Lúnasa” na internet provavelmente encontraremos avaliações de revistas e sites com expressões do tipo “quem ouve não pode deixar de achá-los contagiantes” ou então “ a banda acústica de música irlandesa mais quente deste planeta”. Falo sério, essas frases são traduções da Billboard e do site The Irish Echo respectivamente e vocês podem encontrar a versão em inglês no site da própria banda. Eu confesso que não só concordo como acho que as avaliações fazem jus ao caráter sonoro deles.


Umas das questões que primeiro me chama a atenção é o quanto o som é percussivo e enérgico mesmo a banda jamais tendo tido um instrumento de ritmo nestes 24 anos de sua trajetória(hoje, 2021). O violão e o contrabaixo, juntos, fazem este papel de maneira ímpar. O primeiro, além de fazer a harmonia, toma bastante o papel rítmico com palhetadas bem acentuadas e o contrabaixo o acompanha trazendo peso e pulsação. Com uma cozinha dessas, qualquer banda está feita na vida. Mas mesmo assim, ouvindo sets do grupo como o “Morning Nightcap” podemos perceber o fiddle também fazendo esta mesma função percussiva em muitos momentos.


A formação atual da banda é: Seán Smyth - fiddle e whistles; Kevin Crawford - flauta irlandesa e whistles; Trevor Hutchinson - contrabaixo; Cillian Vallely - uilleann pipes e whistles; Ed Boyd - violão; Colin Farrell - fiddle e whistles. Sendo Seán Smyth o membro que fundou a banda em 1997 e que viu vários músicos trad como Steeve Cooney, Tim Edey, Mike McGoldrick e muitos outros passarem pelo time ao longo destes anos todos até chegar em 2011 na atual formação.




O nome da banda, Lúnasa, é referência a um festival que marca o início das colheitas na Europa, mais especificamente na Irlanda, Escócia e Ilha de Man. A festa ocorria geralmente entre o solstício de verão e equinócio de outono, em 1 de agosto (não por acaso, a palavra lúnasa significa agosto).


Uma curiosidade sobre o primeiro álbum da banda que leva o nome do grupo, do festival e do mês, Lúnasa, é a de que eles tocaram um set para cada mês do calendário irlandês mas omitiram o mês de agosto por este já ser o nome do grupo e do álbum. Por isso acrescentaram um set ao final para que o álbum ficasse com doze músicas ao todo. Assim como todos os álbuns deles, vale a pena conferir.


Enfim, se você conheceu este estilo musical há pouco tempo (ou se já é velho de guerra) e está em busca de referências, pode confiar de olhos fechados na música deste grupo pois você terá o melhor das influências da música tradicional irlandesa em um som maravilhoso e, como disse a Billboard, contagiante.




31 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo