top of page

A singularidade de Sinéad O'Connor na música tradicional



A Irlanda e o mundo perderam a grande artista Sinéad O'Connor na tarde desta quarta-feira, aos 56 anos de idade. O motivo de sua morte não foi divulgado ao público.


Sinéad teve uma vida um tanto quanto agitada e estava passando por um momento difícil após a perda de seu filho, que cometeu suicídio no ano passado. Séan O'Connor era filho de Sinéad com o grande músico Donal Lunny.


Seu maior sucesso é sua versão da canção "Nothing Compares 2 U", lançada em 1990 e originalmente lançada por Prince. Ela teve uma carreira repleta de sucessos no pop/rock, mas também nos agraciou com suas versões de canções tradicionais, como "Peggy Gordon", "Óro Sé Do Bheatha Abhaile", "My Lagan Love", "Molly Malone", "Foggy Dew" e "Paddy's Lamentation". Sinéad não era considerada uma artista da cena tradicional, porém contribuiu e conviveu com grandes músicos da cena, como Steve Cooney (com o qual foi casada por alguns anos) e os legendários Chieftains.


Em 2002 lançou o álbum Sean Nos Nua, que se destaca de seus outros álbuns por ter o repertório totalmente focado na música tradicional irlandesa. Não espere a linguagem mais pura e tradicional, apesar do nome "Séan Nós" no título do álbum. As canções tem influências diversas, com versões puxadas para o reggae, sintetizadores e guitarra elétrica. O que deixa tudo muito mais com a sua cara! Porém Sinéad sabe muito bem como cruzar essa linha com cuidado e teve muita conciência do que estava fazendo, como ela mesma diz nesta entrevista após a performance de "Paddy's Lament".



Me lembro da primeira vez em que vi Sinéad O'Connor cantando em um video. Foi nesta versão linda de "The Foggy Dew". Seu jeito único de se expressar deu um toque mais do que especial junto à harpa, tin whistle, uilleann pipes e bodhrán dos mestres dos Chieftains.


Que sua voz e seu legado continue ecoando pelo mundo!



Posts Relacionados

Ver tudo

Comentários


bottom of page